quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Comitê para barrar a criminalização dos movimentos sociais

O Estado, os setores conservadores e o capital estão a todo o momento tentando criminalizar os movimentos sociais. Basta observar a situação nos últimos anos no Rio Grande do Sul, a manutenção de Cesare Battisti no cárcere, as perseguições e prisões de militantes do Movimento Passe Livre e tantos outros exemplos. Em função dessas questões que o Pró-Coletivo Anarquista Organizado chamou a organização de um Comitê para barrar a criminalização dos movimentos sociais. A Carta Dezembro de 2009 foi lançada na noite de quinta-feira, até as próximas horas outras organizações políticas, movimentos sociais e entidades de classes estarão assinando. É mais um passo para resistir e barrar a criminalização de todos-as os-as lutadores-as por justiça social.



Faça contato via endereço eletrônico : anarquismo.jlle@gmail.com



____________________________________________________________________________


Carta Dezembro de 2009, Joinville-SC


O dia 10 de dezembro de 2009 marcará os 61 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Segundo os Estados, seus governantes e os capitalistas o dia é um marco do respeito a diversidade humana e as liberdades democráticas. A realização da liberdade e da igualdade, ambas tratadas como democráticas, não ocorrem no cotidiano das classes exploradas.


Cotidianamente identificamos a presença das perseguições, ameaças, prisões e mortes dos/as militantes dos movimentos sociais e políticos; ao olharmos ao nosso redor é possível ver o sangue derramado pelos aparelhos policiais e pelas desigualdades sociais mantidas pelo capitalismo.


O dia 10 de dezembro de 2009 é mais um dia de luta por liberdade política, é um dia de dizer um basta:

- a extradição do militante político italiano Cesare Battisti;

- a criminalização dos movimentos sociais, como a morte do militante sem terra Eltom Braum Silva;

- a perseguição a Federação Anarquista Gaúcha;

- as perseguições, ameaças e prisões dos/as militantes do Movimento Passe Livre-Joinville;

- as torturas nos presídios e penitenciarias no Estado de Santa Catarina;

- as ameaças aos militantes do movimento estudantil.


A bandeira de hoje é dos homens e das mulheres vítimas das explorações econômicas, sociais, políticas e culturais. Por isso, hoje estamos presente para informar e difundir a luta contra as criminalizações, perseguições, prisões e mortes em nome do capitalismo e do Estado mantedor dessa ordem de exploração. A lei nº 9.394 prevê que a organização em movimentos sociais faz parte da educação para a democracia. Mas tente se organizar em movimentos sociais e lá estará a força do Estado para lhe reprimir.



Comitê para barrar a criminalização dos movimentos sociais.

O Comitê é composto por movimentos sociais, organizações políticas, entidades de classes e movimentos populares. Os objetivos é criar uma unidade entre os setores das lutas sociais anti-capitalista da cidade, buscando informar, propagandear e luta por plena liberdade de organização e luta política.